A  DESCOBERTA DOS RAIOS X

Wilhelm Conrad Röntgen (1845 – 1923): físico da universidade de Würzburg- Alemanha, descobriu uma nova forma de radiação em novembro de 1895. Esta radiação foi chamada de raios-X. Iniciou seus estudos dos raios catódicos como vários cientistas da época, em tubos cilíndricos com descargas elétricas que emitiam coloração verde ou azul. Trabalhando em Câmara escura, observou que os feixes de raios atravessavam a blindagem, descobrindo que esta atravessava corpos opacos. em 28 de dezembro de 1895 descreve que a radiação era produzida na superfície do vidro aquecido e a designou de radiação X. Recebe com 56 anos de idade o primeiro prêmio Nobel de física em 1901.

Wilhelm Conrad Röntgen (1845 – 1923)

A HISTÓRIA DA RADIOATIVIDADE

A radioatividade foi descoberta pela construção do tubo de raios catódicos (de elétrons). Essa descoberta se deu acidentalmente em 1896, pelo cientista francês Antoine Henri Becquerel (1852 – 1908), que descobriu a radioatividade natural, ao analisar o sulfato duplo de potássio e uranila. já no ano de 1898, os cientistas franceses Pierre Curie (1859 – 1906) e Marie Curie (1859 – 1934), conseguiram identificar o urânio, o Polôno (que é 400x mais radioativo que o urânio) e logo depois veio o rádio (que ainda chega a ser 900x mais radioativo que o urânio). Entre 1898 e 19000, Ernest Rutherford e Paul Villard, utilizando um dispositivo descobriram pelo comportamento frente as placas carregadas, que a emissão das substancias radioativas por natureza poderiam ser de três tipos: Radiação Alfa, Radiação Beta e Radiação Gama.

Antoine Henri Becquerel (1852 – 1908)

Pierre Curie (1859 – 1906) e Marie Curie (1859 – 1934)

Leave a Comment